Blog

Como abrir um negócio com pouco dinheiro? Veja dicas de gestão

Como abrir um negócio com pouco dinheiro? Veja dicas de gestão



Ao pensar na abertura de uma empresa, muitos empreendedores incorrem em um erro frequente: empolgam-se com a ideia e deixam de adotar estratégias simples de gestão que podem ser decisivas para o sucesso.

São algumas medidas aparentemente simples, mas que fazem enorme diferença na hora de decidir em qual segmento atuar, como divulgar e vender e até se o modelo de negócio é viável. A boa notícia é de que boa parte dessas dicas servem para empreendedores de qualquer porte - mesmo que você tenha pouco (ou nenhum) dinheiro. Confira abaixo algumas dessas estratégias importantes para quem vai começar sua jornada como empreendedor.

 

Qual setor é o mais adequado?

O nível de investimento que você tem à disposição pode ser um bom indicativo para decidir em qual segmento empreender. Se não tem muito dinheiro, por exemplo, não terá como embarcar em um empreendimento na indústria, que exige aportes em maquinário e equipamentos, entre outros custos consideráveis. O comércio é um pouco mais acessível, mas também exige investimento na composição de estoques iniciais e, possivelmente, adaptação do imóvel em que sua empresa funcionará.

Então, se eu não tenho dinheiro, fico sem opção?

Não é bem assim, como explica Robson Cavalcanti, Diretor executivo da Wisecont Contabilidade Inteligente.

“Para implementar negócios com patamar baixo de investimento, a sugestão é que você faça na área de serviços. Por exemplo, se faço serviços de consultoria, eu preciso só de um celular para ser encontrado. O investimento que você deve fazer é na aquisição de conhecimento ao longo da vida. Uma caixa de ferramenta pode ser o suficiente para que você faça os serviços de um faz-tudo”, diz.

Cavalcanti faz a ressalva, porém, de que o momento da pandemia exige alguns custos adicionais do empreendedor para implementar o negócio, mesmo no setor de serviços. Será necessário, por exemplo, adquirir equipamentos de proteção individual.

 

 

Você está resolvendo um problema do cliente?

Quando temos uma ideia para abrir uma empresa, em geral somos tomados por empolgação e, por vezes, nos esquecemos de checar se haverá consumidores suficientes que se beneficiam do que o negócio irá ofertar.

Esse é o perigoso caminho de ignorar quem deve estar no centro de todas as decisões de um negócio: o cliente. “Lembrando que qualquer negócio, mesmo os de pequeno porte, só existem quando resolvem um problema de um cliente. Não funciona só porque você tem um investimento, um ponto, uma competência. Existe porque tem um cliente com um problema para ser resolvido”, alerta Cavalcanti.

 

Afinidade/competência/demanda

Robson destaca três passos básicos para testar se sua ideia para implementar uma empresa é viável. Segundo ele, é preciso cruzar informações pessoais do empreendedor, como o gosto por atuar em determinadas áreas, com suas competências profissionais e a demanda de consumidores pelo produto ou serviço que vai oferecer.

“Começa com as áreas que você tem afinidade, satisfação, plenitude em atuar. Feita essa lista, em quais dessas áreas você tem competência instalada? A partir da lista de coisas que você gosta, avaliar o que você faz melhor do que a média. E checar se isso vai ao encontro de demandas da sua comunidade. Você tem de gostar de fazer, ter competência e ter quem queira pagar por isso”, exemplifica o especialista.

 

Depois de abrir a empresa, evolua sempre

Se você já ultrapassou essa primeira fase de implementar um negócio, não deve se acomodar com o sucesso inicial. Pergunte-se sempre se seu modelo segue viável, um comportamento que se torna ainda mais importante no momento atual. “Em função do quadro atual de quarentena, é fundamental revisitar o modelo de negócio”, explica.

Essa inquietude deve ser direcionada, também, à busca por evolução. A capacitação, tanto sua quanto de seus funcionários, ajuda nesse crescimento e confere mais clareza à avaliação dos caminhos de sua empresa. Nesse sentido, a pandemia abriu oportunidades de baixo custo e até gratuitas, com proliferação de cursos online que podem fazer com que você seja um empreendedor cada vez melhor.


WhatsApp